2018 JÁ-1 Alckmin assume o comando do PSDB, bate em Lula e no PT e, com acerto, faz um aceno a Temer e ao PMDB

Publicada: 10/12/2017 - 8:47


Alckmin durante a convenção do partido: presidente da legenda e presidenciável. E agora?

A convenção nacional do PSDB elegeu, neste sábado, Geraldo Alckmin presidente do partido. O governador de São Paulo passa a dispor na legenda de um poder que nunca teve. Em 2006, quando enfrentou Lula nas urnas, era uma espécie de patinho feio aos olhos de muitas alas. Agora não. Embora tenha sido tocado, sim, pela Lava Jato — seu caso chegou há pouco ao STJ —, sobreviveu à voragem da operação.

Ao alvejar o senador Aécio Neves com a fúria que se viu, Rodrigo Janot limpou o céu ao voo de Alckmin. E este, obviamente, aproveitou a oportunidade. O discurso deste sábado evidencia uma mudança no rumo desastroso que sua pré-candidatura vinha assumindo. Vamos ver se mantém bico e cauda devidamente posicionados para um voo sustentável.

Com a devida vênia, eu nunca subestimo a capacidade que têm os tucanos de fazer bobagem — como se viu, aliás, neste sábado, embora, no geral, as coisas tenham se saído bem.

Vamos ver.

Conforme o esperado, o discurso do pré-presidenciável mirou o petismo. Lembram-se quando os companheiros falavam da tal “herança maldita”? Pois é… Alckmin fez ainda um aceno, modesto, ao governo Michel Temer e ao PMDB.

Lembrou:
“Lula será condenado nas urnas pela maior recessão da nossa história. As urnas o condenarão pelos 15 milhões de empregos perdidos, pelas milhares de empresas fechadas, pelos sonhos perdidos.”

E indagou:
“Será que petistas merecem nova oportunidade? Nós os derrotaremos nas urnas.”

E reconheceu:
“Registre-se os esforços do atual governo, que, pouco a pouco, começa a reversão da tragédia econômica em que o país foi colocado”.

Não houve críticas ao Planalto, e, como se vê, ainda que mitigado, ouviu-se até um elogio.

É o caminho certo — a rigor, é o único para a candidatura tucana. Se o PSDB seguisse na trilha em que vinha, que consistia em disputar com o PT um lugar entre as forças de oposição a Temer, o desastre se consumaria por antecipação.

Em todo caso, neste sábado, deu-se apenas o primeiro passo.

Recomendado para você


Comentários