A agenda do pré-candidato Meirelles e a união de forças pró-reformas

Publicada: 15/12/2017 - 8:07


Na entrevista que Henrique Meirelles concedeu ao programa “O É da Coisa” nesta quinta, indaguei se o ministro poderia ser o candidato das forças governistas. Indagado se seria o candidato do governo — isto é, que contaria com o apoio político do presidente Michel Temer —, Meirelles deixou claro que é essa a perspectiva.

Como se sabe, hoje em dia são muitos os candidatos, mas poucas, talvez nenhuma!, as candidaturas. O que quero dizer com isso? Os que se apresentam para governar o Brasil querem o quê mesmo? Quase impossível saber.

Meirelles elencou virtudes desse governo às quais pretende dar continuidade e aprofundar se presidente:
1: agenda de reformas: consolidar as mudanças na Previdência e na área trabalhista e investir na reforma tributária:
2: profissionalização das estatais e da máquina pública;
3: reformas microeconômicas que elevem a produtividade.

Perguntei se o ministro não temia que sua possível postulação à Presidência, que hoje é de conhecimento público, pudesse criar empecilhos às reformas. Deu uma resposta que me parece coerente, lógica: a) há outras lideranças favoráveis à reforma e que também são candidatas; b) sua postulação, dada a defesa que faz das mudanças, pode servir para reunir forças, em vez de dispersá-las.

Recomendado para você


Comentários