Augusto de Franco e chuva de balas

Publicada: 23/02/2017 - 22:14


O pensador, autor e militante político Augusto de Franco, um ex-petista, que ficou 14 anos da direção do partido, dele se afastando em 1994, informou, no site http://www.democracia.org.br/, a agressão de que minha mãe foi vítima (ver notas postadas no sábado) e relata ele próprio um caso assustador, que vocês deveriam conferir. Ele é mais uma das pessoas empenhadas em denunciar o surto autoritário que toma conta do país. À época, com receio de ser visto como um paranóico — os totalitários sempre querem que você duvide de si mesmo e dos fatos —, preferiu não denunciar o ocorrido, o que faz agora. Leia um trecho: “Na primeira vez houve invasão de residência, perseguição e muitos tiros, que por pouco não atingiram a mim e a minha mulher (estávamos no quarto de dormir). Nossos móveis ficaram crivados de balas (os projetéis estão em poder da perícia; os buracos ainda estão comigo). E também não levaram nada. Na segunda investida, fizeram um grande roubo (mas eu já estava ausente, passando as noites em hotéis e, depois, em um flat – como um clandestino). Curioso é que remexeram bastante em todos os armários e gavetas, mas não quiseram levar vários objetos de maior valor: concentraram-se nos computadores e em tudo aquilo que poderia prejudicar o nosso trabalho.” Franco também tem um site pessoal: http://www.augustodefranco.org/

Recomendado para você


Comentários