Lula recomenda a jornalistas: “Não façam como André Singer, um Bourbon do PT, meu ex-porta-voz, que não entendeu nada”

Publicada: 23/12/2017 - 10:31


Como? Luiz Inácio Lula da Silva, duas vezes presidente da República e pré-candidato a um terceiro mandato, está pedindo que a imprensa não faça como André Singer, um verdadeiro “Bourbon” do petismo?

Pois é… Ainda está a transitar por aí o eco da voz de Lula: “Façam como Reinaldo Azevedo; leiam os processos”. Ele disparou tal afirmação em café da manhã com jornalistas, ocorrido na quarta passada (20 de dezembro). E não estava brincando, ainda que uma jumenta disfarçada de profissional da imprensa tenha rido à larga, de modo zombeteiro, como se o ex-presidente estivesse, ele também, zombando. Não! Ele não estava. Havia uma ironia no ar, mas era outra. Para entende-la, é preciso ter apenas os membros posteriores plantados no chão. Lula quis dizer:
“Se até Reinaldo Azevedo, que detesta o PT e é um liberal, de direita; que me chama de ‘Apedeuta’ e de ‘Babalorixá de Banânia’, diz que fui condenado sem provas, convém que vocês, que puxam o meu saco faz tempo, façam o mesmo: leiam os processos antes de opinar. Não se atirem a uma defesa burra, meramente ideológica, partidária, porque isso, em vez de concorrer para fazer justiça, provoca efeito contrário, é contraproducente.”

Lula, claro!, também sofre com aqueles que, estando DO SEU LADO — e, às vezes, A SEU LADO — ainda não entenderam nada porque não aprendem nada nem esquecem nada, para lembrar a frase com que Talleyrand brindou os Bourbons. Escrevo que “Lula também sofre” porque, do lado antiesquerdista, as asnices não são menores. Ou melhor: SÃO MAIORES. Tanto é assim que, se a eleição fosse hoje, o chefão petista seria eleito presidente da República. E o pior para quem não é de esquerda não está no futuro do pretérito do indicativo decorrente de um passado no subjuntivo, mas no futuro do subjuntivo, com arremate no futuro do indicativo: se Lula não for condenado a tempo (sem mais recurso) pelo TRF4, será eleito. Daí se conclui que na disputa de coices e orelhadas, a não-esquerda ganhou a peleja — e, pois, perdeu o jogo. Agora resta torcer para que o tapetão faça o que ela não soube fazer.

Volto a Singer.

Não! Ele não é burro. Não! Ele não é pouco lido. Não! Ele não é inexperiente.

Mas ele é de esquerda. Coisa de alma mesmo! E, para um esquerdista autêntico, não existe valor maior do que destruir o adversário, ainda que isso custe a própria vida, como na fábula do escorpião que ferroa o sapo quando este lhe dava uma carona ao cruzar o rio. Singer, a exemplo de boa parte dos petistas e do escorpião, não tem exatamente uma ideologia, mas uma natureza.

Na Folha deste sábado, ele escreve um  artigo texto espantoso. Se vocês lerem, notarão que o pensador não seguiu o conselho de Lula — e, pois, “NÃO FEZ COMO REINALDO AZEVEDO”. Singer não foi ler os processos. Nem os que dizem respeito a Lula nem os movidos contra membros do PSDB e de outros partidos.

Ele ocupa o espaço no jornal para fazer mero proselitismo partidário e acusar a Lava Jato de ser parcial e de prejudicar apenas um dos lados: o PT, claro! Faz uma leitura rasa do quadro político — e legal! —, que não resiste a um confronto mínimo com a realidade. Chega a escrever:
Não é possível que o rigor da lei recaia de um lado só. O desequilíbrio do que aconteceu nos últimos quatro anos é mais do que evidente”.

De um lado só??? Vejam o que aconteceu com o senador Aécio Neves (PSDB-MG), que, por muito pouco, não se elegeu presidente da República em 2014. Foi moído, triturado!, pela Lava Jato. Num rasgo verdadeiramente asqueroso, Singer chega a dizer, tentando alguma ironia (suponho), que o senador passou por uma “cassação temporária, já revogada”, citando ainda “a prisão de sua irmã (Andréa Neves), também revogada”.

Adiantaria?
Adiantaria explicar a Singer que Aécio e Andrea nem ainda são réus nesse caso? Adiantaria explicar a Singer que o Senado reviu a decisão da “cassação temporária” do senador justamente porque a Constituição não prevê “cassações temporárias”? Adiantaria explicar a Singer que não faz sentido cobrar tratamento idêntico, igualando PT e PSDB, dado que, afinal, o centro da investigação é o desvio de recursos públicos operado por agentes que integravam a máquina do governo e que, afinal, tal governo era comandado pelo… PT? Andrea Neves, note-se, é um caso eloquente: ficou na cadeia sem nem ser ré em razão de uma acusação feita por Joesley Batista. Lula deve ter condenação conformada pela segunda instância, em janeiro, mas seguirá fora da cadeia. Todos sabem o que penso, note-se, de tal processo.

A natureza
Não adianta! André Singer insiste em ser o escorpião que ferroa o sapo. Metam-se alguns tucanos no xilindró, igualem-se (na sua cabeça os menos) as punições, e, então, segundo seus critérios, será forçoso concluir que se fez justiça. Ignorem-se as centenas de delações dando conta da centralidade do PT no esquema de corrupção. Deixem-se de lado as evidências de que o partido, na prática, privatizou a máquina do estado em seu próprio benefício… Observem: Singer aponta, o que é escandalosamente falso, um empate nos crimes entre PT e PSDB para que possa, em tão, reivindicar um empate nas punições.

Mas como poderia ser o PSDB tão criminoso como o PT se era esta a legenda do poder; se era esta a legenda que mandava na Petrobras; se era esta a legenda que dominava a máquina pública; se era esta a legenda que tinha as empreiteiras nas mãos? Ora, por definição, não há como fazer tal equiparação. Essa suposta igualdade, note-se, é uma tese do espantoso Rodrigo Janot, sobre a qual ele fez digressões na denúncia que apresentou contra Aécio Neves. Que esperança tenho de que Singer tenha lido a denúncia do ex-prorurador contra o senador? Respondo: nenhuma! Duvido, aliás, que tenha lido as peças que dizem respeito a Lula. O proselitismo não precisa de fatos a endossar seus argumentos; acredita, antes de tudo, que os argumentos podem tomar o lugar dos fatos.

Os burros
Também, vênia máxima!, a esquerda xucra dá tiros no próprio pé, a exemplo da direita. Singer, por óbvio, não pode fazer no seu campo ideológico (lembram-se do escorpião) o que um Reinaldo Azevedo faz no dele: o articulista detesta o PT e pensa que Lula está na raiz mais profunda da atual crise política. Mas Azevedo não condescende com agressões aos direitos de Lula (e aos de quem quer que seja). Singer, ao contrario, e isto fica patente, acha que haveria mais igualdade no jogo — e, portanto, mais justiça — se Aécio já tivesse sido cassado e se Andrea estivesse presa. Será que assim é porque ele leu as peças fundamentais do processo? NÃO! ASSIM É JUSTAMENTE PORQUE ELE NÃO AS LEU.

Vamos ser claros? Singer não é do tipo que precisa ler denúncias, argumentos da defesa e sentenças para concluir que tucanos são culpados e merecem ser punidos e que petistas são inocentes e merecem ser desagravados, .

Singer, como vocês notarão se lerem seu texto, nem mesmo percebe que, caso triunfasse sua tese, o caminho de Lula para a inelegibilidade e a cadeia seria encurtado. Aliás, com um pouco mais de simancol, iria perceber que os setores extremistas da Lava Jato estão doidos para encarcerar um tucano graúdo. Isso facilitaria enormemente a prisão do chefão petista, segundo a lógica de uma no cravo, outra na ferradura — se me permitem uma imagem oriunda do mundo que relincha e, às vezes, zurra.

Singer não entendeu nada. Não aprendeu nada. Não esqueceu nada.

Recomendado para você


Comentários