Alçado a líder no Rio por Bolsonaros, Major é acusado de incitar violência

Publicada: 12/02/2019 - 12:19


Afilhado político do senador Flávio Bolsonaro e líder da bancada integrada por Carlos Bolsonaro na Câmara Municipal do Rio,  o major Elitusalem Freitas será julgado nesta terça-feira (12) pela Justiça Militar por “organização de grupo para a prática de violência” e desrespeito à hierarquia.

Nas postagens que motivaram também a abertura de uma sindicância, o novo líder do PSC prega, por exemplo, que, a cada policial assassinado, 50 “vagabundos” sejam mortos. O oficial também criticou o edital para o Curso de Formação de Oficiais, que passou a exigir o curso de Direito em 2017. Ele classificou o critério como “sacanagem”.

As postagens do major lhe renderam ainda um Conselho de Justificação, instância responsável por avaliar a possibilidade de punição a oficiais. Submetido à avaliação em julho de 2017, ainda não concluída, ele perdeu temporariamente o porte de arma.

Já, em sua defesa, o vereador contou com o testemunho de Flávio Bolsonaro. “A postagem que ele fez reflete, na verdade, o que muitos da corporação gostariam de dizer a um governo que agora o tempo mostra, além de incompetente, corrupto. O que ele fala ali é o reflexo de uma indignação enorme”, afirmou o então deputado, no depoimento prestado em plena disputa eleitoral.(…)

Por Cátia Seabra e Italo Nogueira, na Folha.