Recluso, Lula perdeu o pulso das ruas; não se deu conta de que Bolsonaro havia capturado o antipetismo

Publicada: 15/10/2018 - 7:06


É claro que o PT paga o preço de uma estratégia, e eu já tratei do assunto aqui, que teve a sua eficácia, mas que deixou sequelas. O partido misturou dois domínios que deveriam ter permanecido separados: o da eleição e o do processo contra o ex-presidente Lula. Foi uma escolha, que fique claro!, do próprio Lula. Preso na Superintendência da Polícia Federal do Paraná, o líder petista está distante da temperatura das ruas e certamente não recebeu o briefing adequado do que ia pelos bares e breus das tocas, como diria o esquerdista Chico Buarque. Jair Bolsonaro há muito já havia capturado os corações curtidos no antipetismo. Boa parte desses capturados repudia o PT por bons motivos. Ou que fale, então, o desastre a que Dilma Rousseff, uma das escolhidas de Lula — para estupefação, à época, de muitas lideranças do partido — conduziu o país. Mais: a mesma Lava Jato que encarcerou Lula havia devastado não apenas a reputação do PT, que, convenham, resistiu com poucas escoriações na comparação com outras legendas. A política como um todo foi reduzida a quase cinzas. E o “capitão” vinha se oferecendo havia pelo menos dois anos como o porta-voz dessa indignação.
Continua aqui

 

Recomendado para você