Resposta ao MPF 5: Como? Os tiranetes querem quebrar de novo o sigilo da fonte? Ou que eu o quebre para satisfazer sua sanha fascistoide?

Publicada: 09/06/2018 - 8:41


Em sua nota analfabeta, escrevem Ministério Público Federal no Paraná e/ou Força-Tarefa:
Seria importante que o autor, para que não seja acusado de irresponsabilidade, leviandade ou falta de técnica jornalística (sic), apresentasse as supostas conversas que disse ter tido acesso e que teriam embasado suas conclusões. Se não o fizer, deixa claro que fez tais afirmações somente com a intenção de confundir a opinião pública tentando vincular todo o trabalho estritamente técnica, imparcial e apartidário realizado pela Lava Jato indevidamente a um partido, candidato ou ideologia política.”

Em primeiro lugar, não são esses valentes os juízes do meu trabalho. Estou pouco me lixando para o que dizem a meu respeito.

Em segundo lugar, as mensagens não “embasaram” as minhas “conclusões”; apenas a ilustraram.

Em terceiro lugar, não preciso provar nada porque não estou acusando os valentes de incidirem em algum tipo penal — ou estou?

Em quarto lugar, os doutores pretendem agora ter acesso até às minhas leituras de WhatsApp, ainda que eu possa ter lido tais mensagens em aparelhos que não são meus — com autorização dos donos, é claro?

Em quinto lugar, vocês não se envergonham de, até agora, não ter aparecido o responsável pela violação do sigilo de fonte, um direito constitucional, de que fui vítima em maio do ano passado?

De toda sorte, não se afobem, valentes!

Continua aqui

Recomendado para você